Blog Damyller
| Atualizado em

Coloração pessoal: como usar as cores a seu favor

Coloração pessoal

Você sabe o que é coloração pessoal? Ultimamente, muito tem se falado sobre isso, mas afinal, do que exatamente se trata e quais são as vantagens de fazer a sua? Aqui, você vai entender tudo isso! Pronta?

O que é e por que fazer análise de coloração pessoal?

A coloração consiste em analisar as cores que mais realçam a beleza natural da pessoa, de acordo com as características físicas dela. 

Alguma vez você já teve a sensação de que vestir uma determinada cor tem o poder de deixar sua autoestima lá em cima? Ou então já passou pela experiência de usar um tom que todo mundo elogia quando você está com ele? Pois é, muito provavelmente as cores que geram esse tipo de impacto positivo fazem parte da sua cartela de cores pessoal.

Mas, não seria melhor se você sempre acertasse nas cores que mais te deixam linda? Até porque, não importa a ocasião, não tem motivo pra não querer se sentir bem e pra não valorizar o que você tem de melhor, certo? Por isso a análise de cor é tão interessante! 

Entendendo quais são os tons que ornam bem com você, seu guarda-roupa pode virar 100% funcional quando o assunto é ressaltar seus pontos mais positivos – e até esconder alguns que você pode considerar negativos. 

Ou seja, além de te deixar radiante, as cores que harmonizam com você ainda ajudam a disfarçar linhas, manchas e marcas de expressão, melhorando a aparência da sua pele sem nem precisar de make! Incrível, não é?

Como é feita a análise de cor? 

O processo de coloração pessoal é feito presencialmente e na prática: com o auxílio de tecidos coloridos em dimensões variadas, posicionados próximo ao rosto, o profissional consegue analisar fatores como contraste e subtom da pele da pessoa e, assim, chegar à cartela ideal de acordo com o efeito que cada um dos tecidos tem sobre a aparência dela.

Como sabemos, ninguém é igual a ninguém! Felizmente vivemos em um mundo cheio de diversidade e cada um tem sua beleza única. Por isso, mesmo que pessoas diferentes tenham as mesmas características físicas ao olhar leigo, o resultado da análise ainda pode ser distinto!

Por exemplo: pessoas de pele clara e cabelo escuro compartilham esses elementos como semelhanças entre elas, certo? Porém, analisando a fundo a tonalidade da pele, a cor dos olhos, do cabelo, da sobrancelha etc, é possível diferenciar o contraste delas. 

Na imagem, a segunda modelo tem contraste médio, assim como a terceira. Já a quarta, mesmo trazendo alguns aspectos parecidos com as anteriores, apresenta um contraste alto, uma vez que os tons escuros no rosto dela são mais marcados em contraposição à pele.

Outro fator importante na coloração pessoal é analisar a temperatura da pele – que também pode ser chamada de subtom. Para isso, os tecidos coloridos entram em cena novamente, mas algumas características também podem ajudar a identificá-la: peles rosadas ou com aspecto acinzentado costumam ser frias, enquanto peles amareladas ou alaranjadas tendem a ser quentes.

A partir daí, sabemos que tons quentes combinam com peles da mesma temperatura, e o mesmo vale para os tons frios. Então, já é possível descartar as cartelas das estações opostas e filtrar até chegar na certa.

Contudo, vale dizer que tanto peles claras quanto escuras podem ser quentes e frias, então nem tem como se basear por isso quando se trata de subtom, viu? 

Depois desses passos iniciais, chega o momento tão esperado de descartar as possibilidades até descobrir, finalmente, a cartela certa para arrasar nos looks usando as cores que mais funcionam bem para você.

Quais cartelas existem e como usar as cores de cada uma?

Existem 12 cartelas de cores no total, por isso as etapas iniciais ajudam muito para não ter que testar todas em vão: sabendo sua temperatura e seu contraste, já é possível excluir pelo menos 8 opções, deixando o resultado muito mais fácil de alcançar. 

As paletas são divididas entre as quatro estações do ano, e cada uma delas ainda conta com mais 3 variações que ditam a intensidade, a temperatura e a tonalidade das cores presentes na cartela – podem ser cores claras, escuras, opacas, vibrantes, quentes ou frias. Muitas tonalidades diferentes!

E para chegar a uma paleta final, só mesmo com alguém especializado analisando com calma os efeitos de cada uma sobre seu rosto. Portanto, não existe regra ou receita de bolo para descobrir a sua – só mesmo realizando sua própria coloração pessoal.

Mas, por que não falar pelo menos um pouquinho sobre algumas combinações para cada estação? Pelo menos assim já damos uma ideia de como associar suas cores quando descobrir sua cartela ideal. Depois, vai ficar muito mais fácil de colocar em prática e acertar nas produções! Então vamos lá?

PRIMAVERA

A cartela de primavera pode ser quente, clara ou brilhante – e para decidir isso, é preciso avaliar todo o conjunto de fatores que citamos acima. Mas, no geral, dá para falar de algumas cores que estão presentes nas três e, assim, dar uma mãozinha para todo mundo que é da primavera!

Aqui, o verde e o azul das paletas primaveris se misturam na produção em um duo de cores análogas – ou seja, cores que estão lado a lado no círculo cromático. Para começar a usar looks coloridos, o jeans pode ser uma ótima saída, porque ele traz várias lavagens diferentes – e pode entrar em várias cartelas. Neste caso, ele vem em tom mais claro e aliado a um verde de acordo com a cartela. Fácil, não é?

Agora, que tal um pouco de cores complementares? Elas ficam em lados opostos do círculo cromático e funcionam perfeitamente bem juntas! Presentes em todas as cartelas de primavera, o verde claro e o rosa viram ótimos aliados quando usados juntos, como nesse combo de vestido e sobreposição com casaqueto.

E para fechar as dicas de primavera, um monocromático que a gente ama! Para os dias de preguiça fashion, para começar a usar cores ou até para deixar o dia a dia mais prático, um visual todo na mesma cor é sempre boa pedida – e aqui, o coral é o protagonista por estar presente nas três paletas desta estação!

VERÃO

No verão, as três cartelas existentes variam entre cores frias, claras e suaves. Sim, você leu certo, existe um verão frio entre as paletas desta estação – e não existe um inverno quente! Isso acontece porque a coloração é baseada nas cores da natureza e com base no hemisfério norte do planeta, onde as estações são muito bem definidas.

No verão de países europeus e dos Estados Unidos, por exemplo, o céu costuma ser sempre aberto e bem azul, que é justamente o pigmento das cores frias. Então, não teria como fugir dessas tonalidades nas paletas de verão.

Dito isso, vamos a algumas combinações possíveis com as cores do verão, seguindo o mesmo uso do círculo cromático que fizemos na primavera? Vamos lá!

Sabe aquele color block análogo que faz muito sucesso no mundo da moda? Quem tem a cartela de verão pode usar e abusar dele! É claro que estamos falando da associação de rosa e vermelho, que já é super famosa e queridinha pelas fashionistas. E quando a composição é conhecida assim, fica mais fácil de achar referências e usar sem medo, não é? Portanto, nesse verão, aposte em uma cropped rosa, complete com uma saia midi vermelha e brilhe muito se você for de alguma paleta desta estação!

Notou alguma semelhança com a primavera? Pois é, aqui também temos verde e rosa na combinação complementar, com camiseta básica e calça pantalona, mas perceba que são tons diferentes! Isso acontece porque todas as cartelas dividem pelo menos quatro cores: azul, verde, rosa e amarelo. Outras, como preto, roxo, laranja, marrom e vermelho, não necessariamente aparecem em todas. Então, é possível que paletas totalmente opostas tragam a mesma cor, mas o ponto importante está na tonalidade – que é justamente o que faz toda a diferença na hora de usar! Foco nisso, hein?

Basiquinho, o look monocromático com camiseta e calça pantacourt amarelas são ótimas apostas para quem é da cartela de verão! Vale usar o ano todo e arrasar com a certeza de que as cores te valorizam – nada melhor que isso!

OUTONO

Para as cartelas de outono, as três possibilidades existentes contam com cores quentes, escuras ou suaves. Assim como na primavera, os tons quentes aparecem aqui pela mesma razão que as frias marcam presença no verão: no hemisfério norte, as cores da natureza nas meias-estações são mais amareladas, seja pelas folhas no outono ou pelo sol na primavera.

Combinar laranja e amarelo é outra opção análoga já conhecida no mundo da moda – e por isso mais prática. Aqui, o amarelo vem em tom mais fechado, remetendo mesmo às cores clássicas do outono, junto com o laranja. Mas, isso não quer dizer que você só possa usar esses looks na estação correspondente à cartela, viu? Esta produção, por exemplo, é ideal para um dia quente de verão!

Neste duo complementar infalível com regata verde oliva e saia lilás, os tons mais fechados e opacos do outono ficam mais evidentes. Quando é assim, é até mais simples de comprar a cor certa, já que as tonalidades por vezes são muito sutis e fica fácil errar e acabar comprando uma peça fora da sua cartela. Por isso, depois de fazer a coloração pessoal, a dica é apostar em cores assim, que sejam notavelmente da sua paleta, ou até levar sua cartela para te acompanhar nas compras e poder comparar os tons pessoalmente.

E sim, pode ter vários tons da mesma cor na sua cartela! O verde oliva e o verde claro dividem o outono em harmonia – e você pode escolher qual deles prefere para protagonizar seu lookinho, seja em um color block ou em um monocromático assim, super prático, versátil e estiloso!

INVERNO

Para fechar, as cartelas de inverno se dividem em: cores frias, escuras e brilhantes. Nesta estação, claro, o pigmento azul é predominante, assim como nas paisagens do hemisfério norte, mas as paletas ainda trazem cores vibrantes que remetem ao céu com estrelas brilhantes e até à aurora boreal, colorida e maravilhosa!

O combo análogo de rosa e vermelho também é bem-vindo para quem é de inverno, mas vale tomar cuidado com os tons de rosa, uma vez que é muito fácil confundir e acabar apostando em uma tonalidade quente, que foge da sua cartela.

Para as composições complementares de inverno, o azul pode entrar em cena com um laranja em um visual todo certeiro para os dias quentes, mas também vale investir na combinação de roxo e amarelo, que é outra queridíssima entre as amantes de moda. Viu como tem várias formas de usar a paleta?

Há quem diga que as pessoas que têm preto na cartela são privilegiadas, afinal, nosso amado pretinho básico só está presente nas três cartelas de inverno, uma de outono e uma de primavera. E nem precisamos dizer que com ele não tem erro, não é? Pode apostar na composição simples com t-shirt e calça, mas também vale investir nas peças que preferir e coordenar todas! Ele também é um bom ponto de partida para quem não sabe como combinar peças coloridas: é só usar uma blusa em outra cor com uma calça preta e pronto!

Por fim, vale dizer que nada disso é uma regra. Como sempre, no universo fashion, você pode deixar a criatividade fluir, seguir seus próprios gostos e usar tudo aquilo que te faz melhor, estando ou não na sua cartela de cores. 

A análise de cor na coloração pessoal serve apenas como um norte para quem quer começar a usar mais peças coloridas e não sabe como, para quem quer dar um up na autoestima, para quem quer abrir os horizontes na hora de comprar roupas novas ou até para quem só quer complementar os looks que já usa com acessórios e make nas cores da paleta – porque isso é super possível! 

Então, se você fez sua coloração pessoal ou quer fazer, saiba que você sempre pode continuar usando as peças que você já ama, mesmo que elas não estejam na sua cartela, combinando com peças que estão nela ou não. Faça sua própria moda e use suas cores como um bônus para brilhar ainda mais!

Assine nossa newsletter
Acessar a versão completa do blog